domingo, 18 de junho de 2017

ANITA GARIBALDI


A GUERREIRA DE DOIS CONTINENTES


Para ler a pesquisa na integra clicar aqui.
Pesquisa realizada em 2016

Pesquisa dos ex-alunos:
Andriélli Santos do carmos
Bryan Souza de Azevedo
Rafael da Silva Silveira


Pesquisamos sobre Anita Garibaldi na sua participação na Guerra dos Farrapos junto com Giuseppe Garibaldi. Esse trabalho vai servir para aprender mais sobre a história de Anita Garibaldi e como ela foi uma mulher guerreira que nos mostrou a força da mulher brasileira.





Guerreira: segundo o dicionário Aurélio é relativo à guerra; bélico; belicoso; marcial. E Segundo o site http://www.dicio.com.br/guerreiro/ guerreira também é Relativo à guerra; belicoso, aguerrido. Aquele que faz a guerra; combatente; soldado. Como investigar e analisar fontes históricas com objetivo de produzir textos sobre Anita Garibaldi pesquisando sobre sua vida ao lado de Giuseppe Garibaldi. Uma mulher guerreira que lutou em várias guerras para defender a sua nação. Buscamos resgatar o processo histórico de Anita Garibaldi. Redigir um texto a partir da análise do material coletado. Publicar o texto produzido no blog Histórias Gaúchas. Criar dois painéis com imagens e textos. Estamos analisando todo o material coletado, por exemplo, fotos, documentos históricos como, certidão de nascimento, certidão de casamento, vamos também pedir ajudas aos professores de artes, geografia e inglês. O professor nos sugeriu fazer uma linha do tempo sobre Anita Garibaldi com painéis, mostrando tudo sobre ela desde que nasceu até a morte. Usamos dois documentos sobre Anita Garibaldi uma é certidão de casamento a outra é de nascimento, usamos onze fotos na linha do tempo.

Escola Municipal de Ensino Fundamental Pio XII
Orientador
Nome: José Edimilson Machado Kober
Coorientador
Nome: Isabel Cristina Flores
Coorientador
Nome: Maria Alexandra Virote

sábado, 17 de outubro de 2015

REVOLUÇÃO FARROUPILHA - VÍDEO E ROTEIRO

Vídeo sobre os principais acontecimentos da Revolução Farroupilha.


Um trabalho dos alunos da turma 8B/2015. 
Faz parte das exposições do Museu Itinerante da Revolução Farroupilha.

ROTEIRO DO VÍDEO

Aluno1

Repórter escolar:
Apresenta série de reportagens sobre a História da Revolução Farroupilha

Começamos hoje a exibir a série de reportagens dividida em capítulos. Hoje primeiro episódio. Sobre os principais acontecimentos da Revolução Farroupilha. Vale a pena conferir.


Aluno 2
1835
         Explode a Revolução Farroupilha. A 20 de setembro, os revolucionários comandados por Bento Gonçalves tomam Porto Alegre, capital da Província. As causas são políticas, econômicas, sociais e militares. A Província de São Pedro do Rio Grande do Sul estava arrasada pelas guerras e praticamente abandonada pelo Império do Brasil, meio desgovernado depois da volta de Dom Pedro I a Portugal. 
Aluno 3
1836
         Já em, 11 de setembro o coronel farroupilha Antonio de Souza Neto, depois de estrondosa vitória sobre as forças imperiais brasileiras no Seival, proclama a República Rio-Grandense. Nesse mesmo ano Bento Gonçalves da Silva é aprisionado após a batalha da ilha do Fanfa e enviado com muitos oficiais farrapOS ao Rio de Janeiro e depois para o Forte do Mar, na Bahia. O governo da nova República se instala em Piratini e Bento Gonçalves da Silva é eleito presidente. Como está preso, assume em seu lugar José Gomes de Vasconcelos Jardim. Piratini é a Capital. 



Aluno 4
1837
         Organiza-se o governo republicano. São nomeados Generais Antonio de Souza Neto, João Manoel de Lima e Silva, Bento Gonçalves da Silva e mais tarde David Canabarro, Bento Manoel Ribeiro e João Antonio da Silveira. Enquanto durou, a República Rio-grandense só teve estes seis Generais. Nesse mesmo ano, a maçonaria consegue dar fuga a Bento Gonçalves, que de volta ao Rio Grande assume a Presidência da República. 

Aluno 1
1939
         A República parece consolidada, a marinha de guerra está sob o comando efetivo de José Garibaldi, corsário italiano trazido ao Rio Grande pelo Conde Livio Zambeccari, através da maçonaria. Os farrapos decidem levar a república ao Brasil. Um exército comandado por David Canabarro e apoiado pela Marinha de Garibaldi proclama em Santa Catarina e República Juliana. A capital da República Rio-grandense passa a ser Caçapava. 



Aluno 2
1841
         A Capital da República Rio-Grandense passa a ser Alegrete, onde se instala a Assembleia Nacional constituinte. 
1842
         Bento Gonçalves da Silva, no começo deste ano, se bate em duelo com Onofre Pires, que morre em consequência dos ferimentos. Após o duelo Bento Gonçalves da Silva entrega o governo e o comando do exército republicano. 
Aluno 3
1845
         A 28 de fevereiro os farrapos assinam a paz com o Império do Brasil no acampamento do Ponche Verde, em Dom Pedrito. O Rio Grande do Sul volta a fazer parte do Brasil.




Aluno 4
Hoje encerramos a exibição da série sobre a História da Revolução Farroupilha.
O homem é sujeito da história, faz, transforma, constrói e reconstrói fatos. Faz- se muito importante conhecer o passado, entender o presente e preparar o futuro.
Não vivemos de passado, mas necessitamos do seu legado. Parabéns aos Rio Grandenses do passado e aos gaúchos do presente.  

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Carta 2 de Bento Gonçalves ao Capitão Florentino Leite de Souza


1) Bento Gonçalves da Silva

2) Restaurar as lei abandonadas pela aborrecida facção retrógada, comunicar sobre o movimento na capital, pedir para Bento Gonçalves impidir a reunião dos inimigos.

3)* Os patriotas se acham em campo e pela 11:00 da noite, dia 1° para 2°.
* O nosso dever é cooperar e sustentar a liberdade.
* Veja portanto o modo de juntar gente e evitar qualquer reunião de nossos inimigos.
/* Acabando esta carta chega-me a notícia que Cordilho e Abel, Filho do Camaro, foram baleados por seis a reconhecer uma força nossa.

4) Me chamou atenção a parte que, pede para eles se juntarem a seus amigos para batalhar pela liberdade.

5) Para quem ele escreveu? Florentino Leite de Sousa.

A CARTA



quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Documento 03 DE BENTO GONÇALVES

Antônio Rodrigues Fernandes Braga


1) Bento Gonçalves da Silva

2) A visar a ele que Bento Gonçalves tinha tomado a capital tinha conseguido armamentos pesados e pessoas inclusive policiais para lutar ao seu lado na revolução.

3)* No dia 20 de setembro se deu principio à grande obra no dia 21 de setembro nesta capital de onde tem fugido clandestino o Braga sem deixar nem vice-presidente nem outra qualquer autoridade.
* De todas as partes moças e velhos, pobres e ricos não abandonando suas casas para engrossar as filas dos patrimônios.
* A Câmara municipal no mesmo dia de nossa entrada procedeu a dor posse do cargo de vice-presidente ao nosso amigo. vice presidente o dr.Marciano Pereira Ribeiro.

4) Me chamou mais atenção foi tantas pessoas dispostas a lutar dependente de classe social abandonando suas casas lutar pela sua liberdade.

A CARTA 





quarta-feira, 14 de outubro de 2015

CARTA 5 SOLICITAÇÃO DE ARMAMENTO

José Fernando Costamilan (E) e Jaime Mujica mostram a baioneta disputada pela prefeitura de São José do Norte e pelo Instituto Histórico e Geográfico

Documento 005

1) Bento Gonçalves da Silva
2) De um pedido de armamento.
3)*200 clavinas ou terceirolas
*200 espadas de cavalaria
*200 cartucheiras
*6000 cartuchos de adarme onze ou doze
*600 perdineiros
*200 lanças
4) Me chamou atenção a quantidade de armas e muita munição.

A CARTA






quarta-feira, 7 de outubro de 2015

CARTA 07 DE BENTO GONÇALVES AO SENHOR MARCIANO PEREIRA RIBEIRO

Plenário Antigo
Relação dos Integrantes da 1ª Legislatura
(1835 –1836 – 1837)

Marciano Pereira Ribeiro - "Doutor em Medicina" (1º Presidente da Assembleia Legislativa da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul) 

1) Bento Gonçalves
2) Comunicar ao senhor Marciano Pereira Ribeiro que as forças restauradas e estavam situadas na vila e que sua chegada hoje as 11:00 da manhã foi com muito festejo.
3)*Que as forças restauradoras das leis que se acham sitiando a vila entraram hoje ás 11:00 da manhã entre algumas aclamações e festejos de seus habitantes
*Apresentei um ofício de V.Exa ao presidente da câmara municipal o qual me assegurou que mandaria cumprir seu município ás ordens de V.Exa.
*E tenho razões de esperar que será mantida a ordem de segurança pública.
4) Me chamou atenção que Bento Gonçalves era um símbolo de guerra que na chegada á vila todos festejam e também que ele era o protetor que teria segurança na vila.


















A  CARTA






quarta-feira, 9 de setembro de 2015

PROCLAMAÇÃO - DE BENTO GONÇALVES

ANÁLISE DO DOCUMENTO
PROCLAMAÇÃO

Trabalho do aluno: 
Eduardo T. Teixeira
8B/2015


Autor: O coronel Bento Gonçalves da Silva

Trata-se do discurso de proclamação da República Rio Grandense. O coronel está incentivando o povo a brigar por sua liberdade.

“A causa das leis triunfou na capital e após desse triunfo apareceu o sossego e a ordem”... “Sim compatriotas! O resto da facção retrograda e antinacional, com Dr. Antônio Rodrigues Fernandes Braga a sua frente”... “Por outra parte os bravos rio-grandenses já se não deixam iludir” ... “Compatriotas! Não ama a sua pátria aquele que tão somente se apóia na opressão e a arbitrariedade” E vivam os briosos rio-grandenses livres!

O que me chamou mais atenção nesse documento foi a persistência do coronel Bento Gonçalves em tornar os gaúchos livres e da determinação em briga por esta liberdade, ou também que ele está meio que ordenando que os gaúchos liguem por essa liberdade.